Acabe com a queda de cabelo!

Junte-se a mais de 5.147 leitores que aprenderam a lidar com a queda de cabelo com nossas dicas e em POUCO TEMPO (é grátis)!

Alopecia. O que é e como tratar a alopecia

Alopecia (ou alopécia – as duas pronúncias são aceitas) significa a redução parcial ou total dos pelos do corpo ou cabelos. Trata-se de uma doença que apresenta diferentes tipos, podendo acometer tanto homens como mulheres.

Alopecia tem tratamento - Procure seu médico

Alopecia tem tratamento – Procure seu médico

Tipos de Alopecia

Universal: ocorre quando todos os pelos do corpo são afetados, incluindo o fato da queda de cabelo.

Areata: tipo associado a doenças autoimunes e que tem o agravamento do quadro desencadeado por desequilíbrios emocionais, como o estresse ou vivência de traumas. Nesse caso, a perda dos pelos é rápida, com chances de progressão para a alopecia universal.

Androgenético: ocorre com maior frequência entre homens e se manifesta na transição entre a puberdade e fase adulta. Como o próprio nome sugere, esse tipo de alopecia combina fatores genéticos e hormonais.

Congênita: tipo ligado a fatores hereditários, causando ausência parcial ou total de pelos desde o nascimento.

Eflúvio Telógeno: também conhecida como alopecia difusa ou deflúvio, esse é o tipo que possui maior incidência entre as mulheres. Nele, o fio se desprende facilmente do couro cabeludo, resultando numa queda de cabelos parcial. Curiosamente, a alopecia eflúvio telógeno possui diferentes causas, sendo as principais problemas na tireoide, uso de medicamentos em tratamentos de doenças e má nutrição.

Veja como eliminar a Queda de Cabelo

Seborreica: ocorre quando a pessoa possui escamação (caspa), coceira e eritema no couro cabeludo, ou seja, dermatite.

Alérgica: pessoas alérgicas a glúten, lactose e outros fatores bioquímicos são mais propensas a apresentar alopecia.

Traumática: tem origem por conta de lesões no couro cabeludo ou pele, sendo irreversível na maioria dos casos, pois há uma total ruptura da estrutura do folículo capilar.

Fatores secundários: tipo de alopecia que está diretamente associada a alguma outra doença ou distúrbio interno dos órgãos, chegando a comprometer pelos e cabelos.

Tipos de Alopecia

Alopecia Fibrosante Frontal – O que é?

Relativamente nova, a Alopécia Fibrosante Frontal, é uma doença que foi descoberta em 1994 pelo dermatologista australiano Steven Kossard, é um tipo de alopécia cicatrizal, sendo assim, irreversível.

A doença afeta o couro cabeludo, causando um recuo nos cabelos da região frontal e lateral da cabeça e em casos mais graves, ela pode avançar até a região central do couro cabeludo. É comum, também,a queda das sobrancelhas em alguns casos.

As principais vítimas desse mal são mulheres acima dos 40 anos que estão no periodo pós menopausa, mas já existem relatos de casos de AFF em homens. Cada vez mais comum, a Alopécia Fribrosante Frontal tem origem desconhecida e sem o tratamento correto pode causar danos irreversíveis.

Mas o que causa a Alopécia Fibrosante Frontal?

Não se sabe exatamente o que causa a Alopécia Fibrosante Frontal. Sabe-se, por enquanto, que a queda dos cabelos se dá por uma inflamação que atinge o folículo piloso (estrutura dérmica que produz os pêlos do corpo) e que a doença é auto imune. Ou seja, o próprio corpo produz os organismos que causam a perda de cabelo.

Como a maioria da vítimas são mulheres que já passaram pela menopausa, especulações como causas hormonais já foram consideradas, porém não há nenhuma resposta definitiva sobre o que pode causar esse mal.

alopecia fibrosante

Quais os sintomas?

Os sintomas apresentados por quem tem Alopécia Fribosante Frontal são a queda de cabelos, queda das sobrancelhas, possíveis vermelhidões no local, pele áspera, ausência de dor e possivelmente leves coceiras.

A doença evolui de maneira lenta e na fase inicial percebe-se a queda contínua dos fios de cabelo, o local fica com a pele avermelhada e seca. A AFF causa a destruição folicular, e substitui o mesmo por um tecido fibroso, impedindo assim que novos cabelos nasçam no local.

Alopecia Fibrosa sintomas

Diagnóstico

O diagnóstico da AFF é feito por um especialista, a partir de um exame médico detalhado do couro cabeludo e confirmado através de uma biópsia. Após confirmado o resultado o paciente pode dar início ao tratamento.

Alopécia Fibrosante Frontal tem cura?

 

É importante saber que a AFF não tem cura. Então, após diagnosticado o paciente deve dar início ao tratamento que visa controlar a doença, impedindo que ela avance e cause mais queda de cabelo.

O tratamento para AFF consiste no uso de medicamentos que controlam a inflamação. É importante saber também que quanto mais precoce for o diagnóstico, maiores são as chances de controlar a inflamação e impedir que a doença continue avançando.

O tratamento deve ser orientado por um médico especialista e deve ser seguido a risca, para que obtenha-se sucesso.

Não se sabe de nenhuma sequela que possa ocorrer com o tratamento e ainda não há uma cura definitiva para a Alopécia Fibrosante Frontal.

Se você tem apresentado algum dos sintomas como queda de cabelo na parte frontal do couro cabeludo, queda de sobrancelhas, vermelhidão e coceira no local afetado, procure um especialista. Mesmo sem cura a Alopécia Fibrosante Frontal tem tratamento, possibilitante à você menos preocupação e mais qualidade de vida.

Será que tenho alopecia?

Médico Revela Segredo para Eliminar a Queda de CabeloQuem enfrenta queda de cabelo sempre se vê diante dessa dúvida: será que é alopecia? Para ter uma resposta precisa, o melhor é procurar um dermatologista, profissional especializado que realizará o correto diagnóstico e indicará o tratamento.

A maioria dos tipos de alopecia, bem como um caso simples de queda de cabelo, pode ser controlada com tratamento médico específico que atenda suas necessidades. Por isso, não abra mão de consultar um profissional!

Tratamentos para alopecia

A alopecia é considerada uma doença como qualquer outra e, portanto, necessita de acompanhamento médico para garantir bons resultados e também o bem-estar do paciente.

É comum que pessoas com queda de cabelo acentuada procurem resolver o problema com xampus específicos e outros cosméticos (ou, até mesmo, com tratamento caseiro para queda de cabelo), porém se a situação persistir, pode se tratar de um quadro de alopecia e um tratamento médico é fundamental.

tratamentos contra Alopecia

Mas, quais seriam os tratamentos para alopecia existentes no mercado e mais indicados pelos dermatologistas? Conheça-os a seguir!

  • Tratamento com uso de produtos tópicos: em casos menos complexos, a utilização de soluções capilares e xampus especiais é bastante efetiva, controlando a perda do pelo. Para alguns pacientes, pode ser recomendado o consumo de vitaminas e realização de mesoterapia como reforço.
  • Injeções de cortisona: esse é um dos tratamentos mais comuns, que estimula o crescimento do pelo. Em alguns casos, o dermatologista pode indicar um complemento com uso de corticoides tópicos, em loção ou creme.
  • Terapia com luz ultravioleta: estimula o folículo capilar e o crescimento do cabelo em regiões afetas pela alopecia.
  • Uso de medicamentos: a lista é extensa, porém o mais conhecido é o Minoxidil. Os medicamentos podem ser receitados para consumo via oral ou aplicação na área afetada. Ainda que os medicamentos sejam indicados, eles só devem ser utilizados como tratamento caso sejam receitados por um médico, ou seja, nunca se automedique! Assim, elimina-se o risco de causar sérios problemas ao organismo.
  • Implante capilar: indicado em casos mais graves e avançados, em que tratamentos com medicamentos e outros produtos não surtirão o efeito esperado.

Fim da Queda de Cabelo

Além desses tratamentos tradicionais, estudos recentes mostram que a cafeína, aplicada topicamente na pele através de formulações farmacêuticas também pode ser um ingrediente eficaz no tratamento contra alopecia.

No entanto, é importante lembrar que somente um médico saberá analisar seu caso e indicar o melhor produto a ser utilizado ou tratamento. Consultar um dermatologista é garantia de melhores resultados!

Alopecia Tem Cura?

A alopecia pode durar meses ou anos, sem tratamento adequado, e está associada a diversos fatores: genéticos, condições alérgicas, enfermidades imunológicas como vitiligo, tireoide, lúpus, estresse ou até mesmo devido à presença de micro-organismos. Além da queda de cabelo, a doença também pode causar alterações na superfície das unhas, deixando-as com um aspecto fosco, como se fossem arranhadas, e com pequenos pontos aprofundados.

Veja como eliminar a Queda de Cabelo

Durante o ciclo da vida, o cabelo se desenvolve em três estágios, sendo eles a fase de crescimento, a de pausa e a da queda. Se, ao lavar o cabelo ou pentear você perceber que, diariamente, mais de 200 fios estão caindo por dia, ou se você reparar que tem áreas que estão com um volume menos ou houver falhas, é aconselhável procurar um especialista.

Alopecia tem cura?

Alopecia tem cura?

Muitas pessoas têm receio de procurar um médico especialista, porém, é importante salientar que a ajuda de um profissional capacitado é fundamental para atingir os resultados esperados com o tratamento. E, tão importante quanto procurar ajuda, é não se alongar para ir atrás de um médico. Não deixar o quadro da alopecia se agravar é fundamental para um tratamento mais eficiente dentro das condições que essa doença oferece.

A doença não tem uma cura definitiva e não há como eliminar a tendência de adquiri-la – e nem como prevenir as futuras crises. O episódio de queda de cabelo pode ocorrer por toda uma vida, podendo ter recuperação parcial ou total dos fios, mas, muitas vezes, essa situação pode ser irreversível.

Fim da Queda de Cabelo

A Alopecia pode causar transtornos psicológicos nas pessoas, já que altera aspectos da aparência e pode gerar um desconforto estético. Por isso, assim que iniciarem os sintomas, é aconselhável procurar um médico especialista e realizar o tratamento para alopecia disponível e mais indicado.

Alopécia? Procure um médico!

E você, está com alguns “buracos” indesejados entre os seus cabelos? Já procurou o médico para solucionar, de vez, esse problema? Então, não espere ele se agravar, um diagnóstico logo no início do problema apresenta chances muito maiores de cura! Procure agora mesmo um bom dermatologista e livre-se desse problema! Alopecia tem cura, basta tratar corretamente.

Você já teve esse problema ou está se tratando? Que tal dividir suas experiências com o nosso blog? Faça um comentário abaixo falando sobre suas atitudes para tratar a alopecia. Seu comentário pode ser muito importante para outras pessoas que enfrentam esse problema.

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (342 votes, average: 4,77 out of 5)
Loading...
259 Comments

Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *